sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Começando a estudar musica

               
                Essa postagem é para quem deseja começar a tocar um instrumento, seja como hobbie ou mesmo profissionalmente. Talvez teria mais credibilidade um grande nome da musica falar a respeito e não um mero desconhecido. Porém, o conteúdo pode valer a pena, mesmo não sendo um renomado artista escrevendo. O que quero deixar aqui é basicamente uma experiência de vida de quem dedicou mais de 20 anos à música motivado apenas pela paixão.
                 Eu sempre gostei de música, e como atividade extra curricular, comecei a estudar violão ainda muito jovem. Como todo o estudante, achava que aquelas pessoas que conseguiam tirar algum som de um instrumento eram seres dotados de um dom divino. Porém, com o avanço dos estudos, percebi que música, e qualquer outra matéria da escola, tinha sua parte prática e a parte teórica. Que era fundamental absorver a parte teórica e praticar aquilo que eu estava estudando, com o intuito de escutar o que estava lendo. Muitos garotos iguais a mim, estudantes sazonais de música, praticavam mais em seus instrumentos do que eu, outros achavam que tudo era besteira, bastava fazer um barulho e deu. O resultado era notório. Normalmente aqueles que achavam que já sabiam o suficiente, e que não precisavam mais estudar, em seguida se deparavam com os mais diferentes problemas. Exemplos de músicos autodidatas bem sucedidos temos aos montes, assim como diversas pessoas que dedicaram a vida ao estudo da teoria e são meros desconhecidos. Para ilustrar, temos faculdades e escolas de música de renome internacional espalhadas pelo mundo e funcionando há décadas. Claro que nessas escolas existem professores de altíssimo nível para que os cursos tenham grande qualidade para manter o nome da escola no topo. Com 20 anos dedicados a música, não saberia dizer o nome de nenhum desses professores, não por nunca ter dito informações a respeito, mas por ignorar seus trabalhos.
          Resumindo: Ser um músico de qualidade não garante sucesso, dinheiro e nem reconhecimento. Por isso, se a pessoa está querendo só o que citei, tende a se decepcionar bastante. A única forma de nunca se decepcionar com a música é se relacionar com ela por paixão, se envolver, não tentar dominá-la de forma didática. Conheço tantos músicos que fazem trabalhos legais tendo a música como hobbie. Acho que a maioria das pessoas com quem toquei, e toco até hoje, tem suas profissões tradicionais para se sustentar e tem a música como uma segunda atividade, para diversão. É comum a pessoa gastar muito do dinheiro que ganha no seu trabalho com equipamentos e instrumentos, motivado apenas por paixão.
                  Após essa longa introdução, vou tentar passar algumas dicas que podem servir tanto para quem inicia os estudos quanto para quem já é um músico mais experiente e até profissional. Talvez a primeira coisa a observar é que: Se você realmente é apaixonado por música, ou por um estilo musical, a ponto de querer tocar um instrumento, você deve estar preparado para aprender o tempo todo, sempre. Independente do estilo musical, haverá algo em que você não é tão bom e que você precisará sentar e estudar aquilo, nem que seja por mero prazer. Se você é humilde o suficiente para ouvir outro músico, melhor ainda. Mesmo para quem já é um profissional de renome, sempre terá que parar e aprender um repertório diferente, buscar ampliar seus horizontes para poder continuar vivo no mercado. Ou seja, se você quiser aprender um instrumento, saiba que terá que desenvolver também certo gosto por aprender. Aprender a gostar de aprender é a primeira dica. 
          A segunda dica é mais técnica e, dependendo do seu nível de desenvolvimento, você não conseguirá um resultado sozinho. Como toda atividade, a qualidade do estudo da música dependerá de organização. Existe todo um conhecimento a respeito de técnicas e teorias fundamentais que precisam de uma organização para o desenvolvimento natural e permanente de um estudante de música. Há uma parte comum a todos os tipos de instrumentistas como cantores, guitarristas, bateristas e tecladistas, e têm também existem técnicas e estudos específicos para cada um deles. É muito interessante conseguir um bom professor para quem está começando. Por mais que existam livros, videos na internet e um vasto conhecimento compartilhado, é o professor quem ensinará a linguagem e a forma mais adequada para que se desenvolvam as ferramentas necessárias para assimilar o máximo de conhecimento, fazendo com que o estudo passe a valer a pena. Caso não haja a possibilidade de contar com um professor, as coisas complicam um pouco, mas nada que não possa ser contornado com boa vontade e persistência, mas pode demorar mais a alcançar um resultado satisfatório.
               Como essa postagem já está grande e o objetivo do blog não é prender a atenção de ninguém por muito tempo, vou fazer uma próxima postagem abordando alguns tópicos fundamentais para quem realmente quer aprender a estudar música. Esses tópicos poderão ser aprofundados em outras páginas da internet, blogs e livros, quanto mais informações forem pesquisadas, analisadas e comparadas melhor. Sempre com o cuidado de tentar assimilar algo realmente verdadeiro, pois existe muita bobagem na internet. É muito importante se dedicar a alguns assuntos básicos, mesmo que pareçam desinteressantes no inicio, pois talvez você tenha problemas lá na frente por não ter dedicado um pouco de sua atenção no momento certo. Coisas como leitura, percepção, prática de grupo e, principalmente, aprender mais um ou dois instrumentos, além do principal, para conseguir encontrar o lugar de cada coisa dentro de uma obra.
              Espero que realmente mais e mais pessoas se dediquem a cantar, tocar um instrumento e fazer músicas, pois isso só enriquecerá o cenário musical, possibilitando que a música continue se perpetuando e passando de geração em geração. O conhecimento está todo ai, basta ter paciência para absorvê-lo e fazer o uso adequado dele. No que precisarem de mim, estou a disposição. Quero realmente que nossa próxima revolução seja pela arte, pois uma país como o nosso, tão diverso étnica e culturalmente, merece uma efervescência artística e de qualidade. Só assim reescreveremos nossa história de forma mais digna e rica.

Postar um comentário