quarta-feira, 18 de março de 2015

Música e trabalho

       
       
           É normal a pessoa que gosta de música, e se dedica a tocar um instrumento, aventar a possibilidade de viver exclusivamente disso. Então, vamos nos aprofundar nessa ideia? Muitas vezes o candidato a músico profissional encontra grande resistência junto a família e a sociedade em geral. Ainda não foi possível afastar totalmente aquele pensamento retrógrado que música não é profissão, portanto não se pode viver dela. Pois bem, então é muito difícil para essas pessoas, que defendem tal ideia, explicar porque alguns dos maiores milionários do planeta são músicos. Não vou nem citar exemplos aqui, há muitos e bem conhecidos. Mas o fato é que a música gera muito dinheiro, glamour e sucesso. Sei que muitos vão pensar que isso é para poucos, muito poucos aliás, porém é tão possível quanto qualquer outra profissão. Mas eu pergunto: "Quanto um estudante de medicina investe dinheiro e tempo na sua preparação até se formar e exercer a profissão?" A resposta acho que é unanime: "Muito!" Em outras profissões também ocorre a mesma coisa, se investe muito até conseguir ter retorno. Por essa lógica, se investir tempo e dinheiro em conhecimento e produção, as coisas acontecerão de alguma forma. Nem todos os profissionais que se formam em qualquer coisa tem a garantia de sucesso, contudo, viverão bem se forem bons profissionais e levarem a sério suas carreiras. Outro contraponto que pode ser citado por detratores dos músicos, é que estes profissionais têm mercado. O mercado musical também é muito forte, talvez até mais amplo do que muitas profissões. Muitos empresários investem muito dinheiro em eventos musicais no mundo todo. Há música na TV, no rádio, no cinema, em tudo. É necessário um grande e diversificado leque de profissionais por trás de um grande evento para ele dar certo, ou seja, mercado existe.
          Há outro argumento que pode fazer com que os amantes da música não fiquem frustrados e continuem convictos que a ideia de viver da sua paixão seja algo viável e até lucrativo. Se pararmos pra pensar, quantos profissionais estão envolvidos na produção de um show, de um cd, de um dvd ou numa feira de instrumentos e equipamentos de áudio? São muitos profissionais e de diversas áreas. Então, se sua paixão é musica, siga em frente, se prepare como os outros calouros fazem, invista no seu projeto, seja ele uma banda, um show, um estúdio, uma rádio, uma loja de instrumentos, ou o que te der a oportunidade de ingressar neste ramo. Certamente você será recompensado com isso, tendo qualidade de vida por fazer o que gosta, sua motivação não será apenas o dinheiro, você estará em contato com profissionais de diversas áreas que podem possibilitar diversas oportunidades em diferentes tipos de negócio dentro do mercado musical. Afinal, como em toda carreira profissional uma grande e variada rede de contatos é fundamental. Não importa qual seu interesse dentro do mercado, você precisa estar dentro dele para ter mais chances.
          Agora vou dar o outro lado da questão. Os "hobbistas" e os "artistas alternativos". Os primeiros têm sua profissão que garante seu sustento, mas tem sua banda de final de semana, que toca em bares ou grava suas próprias musicas, mais como diversão do que como profissão. Muitos desses indivíduos seriam excelentes músicos ou profissionais da área se dedicassem mais tempo e dinheiro nisso. Entretanto, por algum motivo qualquer resolveram não seguir ou investir em uma profissão relacionada a música. Pode ser que ver a paixão como profissão pode tirar o encanto, sei lá, muitas vezes é covardia ou acomodação mesmo. Já os artistas alternativos são aqueles que apenas querem fazer sua arte sem ter que arcar com o lado burocrático e comercial de se ter uma profissão. Normalmente, tem ideia fixa sobre fazer concessões, pertencer a alguma entidade ou sindicato, entre outras coisas. Alguns desses artistas acabam se tornando profissionais, mas a maioria cai no esquecimento por pura convicção ou até teimosia.
          Minha mensagem final é: "Se você quer realmente ser músico, talvez tenha que investir muito tempo e dinheiro nesse sonho até ser bem sucedido. Porém, para ter êxito em outra profissão também terá que fazer isso. Mesmo que sua família ou alguns membros da sociedade façam piadas ou tentem diminuir o valor da profissão, pode valer a pena tentar. Lembre-se que pra ter uma carreira você precisa se preparar, tentar cuidar da melhor forma possível da parte burocrática, buscar ter o máximo de informações sobre o mercado e as possibilidades de atuar bem e ser remunerado de forma justa por isso. Seja você um músico contratado, um compositor, um engenheiro de áudio ou um promotor de eventos, saiba que existem entidades, sindicatos e empresas que podem assessorá-lo e fazer com que seus objetivos sejam alcançados de forma segura e sustentável. Invista em você e terá seu retorno, mesmo que não se torne um sucesso mundial. Boa sorte!"
Postar um comentário