terça-feira, 12 de maio de 2015

Sai do ar a Rádio Rock de Porto Alegre

   

          Nessa segunda-feira foi anunciado que a rádio Ipanema FM de Porto Alegre, depois de mais de 30 anos, sairia de seu prefixo 94.9 e passaria a ser uma rádio digital. Isso não chega a me afetar diretamente ou causar certo desconforto. Entretanto, quando penso que acordava no sábado pela manhã para escutar bandas como Metallica, Alice in Chains, Led Zeppelin, entre muitas outras, isso a mais de 20 anos atrás, quando tínhamos o rádio como unica fonte de informação gratuita sobre as bandas que eu gostava. As outras eram revistas de integridade discutível que eram vendidas nas bancas.
Conheci muitas bandas através dos comunicadores da Ipanema FM, assim como informações de eventos, lojas e lançamentos. Na época o rádio tinha grande importância para as gravadores que por sua vez era quem comercializava o produto musica. Logo apareceu a internet, o pensamento e os hábitos coletivos mudaram e com isso certas ferramentas passam a ser consideradas obsoletas. Acho que foi isso que aconteceu com a Ipanema. Ela deixou de ser um canal de comunicação com os roqueiros. A musica começou a disputar espaço com outros assuntos mais direcionados para a noticia cotidiana e o esporte e ao que tudo indica o prefixo 94.9 passa a ser uma extensão da Band AM e a Band News.
          Muitos consideram os roqueiros uma classe envelhecida e muito mais flexível do que era no passado, outros já consideram a extinção da Ipanema da FM como sendo uma espécie de boicote ao Rock. Como disse no inicio, atualmente o ocorrido tem muito pouca influência no meu dia a dia pois não acompanhava no cotidiano o conteúdo da rádio. No final da década de 90 a rádio começou a flertar com o samba e a MPB e isso fez com que me preocupasse mais em adquirir discos e fitas, depois CD's, do que esperar dar alguma musica que gostasse no rádio. Algumas bandas criaram um vinculo com a rádio, mas acho que a diversidade de mídias e opções fizeram com que as bandas também se desinteressassem. Agora fica um pouco do saudosismo, da nostalgia. Assim como a MTV Brasil a algum tempo também teve anunciado o seu fim. Talvez ambas se encaixem nesse contexto. Assim como a Ipanema, a MTV também não me agradava mais como nos anos 90 onde era grande fonte de divulgação. Em outros tempos ambas fariam muita falta, hoje com o advento da internet fica mais fácil ter acesso a videos, musicas e noticias dos artistas favoritos, inclusive manter contato com os próprios músicos, coisa que era muito difícil imaginar a alguns anos atrás.
Os tempos mudaram e algumas coisas ficaram para trás deixando apenas suas histórias na lembrança daqueles que em algum momento tiveram essas marcas bem próximas. Confesso algumas coisas desse "novo mundo " me incomodam, como por exemplo, quando alguém vai falar sobre algum assunto e para pesquisar na internet do celular alguma coisa para apoiar seu argumento. Ou então quando um jovem com um celular com GPS, internet e mapas pergunta para um senhor de idade onde fica algum endereço. Conheço gente que tem 10.000 horas de musica num HD externo e diz conhecer algumas centenas de bandas. Quando comecei a gostar de Heavy Metal, sabia de cor o nome dos músicos das bandas, onde, quando e quem gravou cada álbum, decorava as letras de tanto cantar junto com o disco lendo o encarte. Esse é o tipo de coisa que não tem como passar para alguém que nunca teve o hábito de escutar um disco de vinil, ou simplesmente sentar e ouvir o mesmo disco várias vezes. Criou-se o hábito de se escutar musica fazendo outra coisa. Sinal dos tempos, o fim da Ipanema e da MTV são apenas isso, o tempo passando.
Postar um comentário